Fórum para publicações dos textos criativos pelos membros do grupo Escritor da Depressão.


    Texto - A carta

    Compartilhe

    alguemporai

    Mensagens : 1
    Data de inscrição : 14/05/2014

    Texto - A carta

    Mensagem por alguemporai em Qua Maio 14, 2014 4:29 pm

    É só o início (ou o final, não sei bem)  de um breve romance :

    A carta
        -Autor Desconhecido

    E chegou assim de mansinho, no mesmo tom calmo e suave da tua voz, e quando percebi já sentia o que não sabia que podia sentir.Só percebi por quê as borboletas no meu estômago faziam motim quando te viam, ao ponto de fecharem minha garganta com palavras doces e ingênuas, porém indecisas.Todo abraço seu parecia um milhão de abraços perfeitamente encaixados contra o meu ombro, e por quê sentia como se fizessem cócegas no meu peito de dentro pra fora.

    Me preocupava com você sem saber por quê,  e a ideia de te ver onde poderiam lhe fazer mal me atormentava ao ponto de eu ter que dizer algo, só pra ter a certeza de que esse bem-querer não se tornaria sofrimento.
    Demorei, mas então vi que você foi sútil como ninguém foi, alcançou algo dentro de que ninguém ainda havia feito.Mas eu sabia que eu não era pra você, não podia ser.

    Mas queria.

    Tentei resolver da forma mais fácil pra mim -que se tornou a mais fácil depois de uma vida inteira praticando- , simplesmente esquecer.Mas toda vez que tentava não pensar eu nada eu via seus olhos e então percebia meu coração acelerado, repentino, inconsequentemente pulsando por algo que não podia ser.

    Eu arriscaria tudo, me machucaria, me decepcionaria, perderia perder o que fosse, só pra sentir como é quando isso flui de ambas as partes.Mas não podia arriscar fazer isso á você.Você via em mim algo que eu não podia ver. Desenhava alguém que eu não conhecia mas que você chamava pelo meu nome . E  eu confuso, feliz, empolgado, e confuso -sim eu repeti confuso, por quê estava realmente confuso - com tudo isso  e não podia imaginar como alguém assim como você, do jeito simples e ... não, a palavra não é perfeito, completo talvez, não sei,  ou só pelo que você é em sua essência, aquela que não se pode ver a não ser que se abram as janelas das alma mutuamente ,e inconsequentemente.

    Eu pude ver algo que fez querer ser melhor do que nunca imaginei ser, fazer o bem como nunca fiz só pra tentar chegar perto desse... brilho, que  escapava dentre seus sorrisos, sempre tão sinceros.

    E quando não eram ...

    Eu tento entender o que faria alguém como você sorrir por simplesmente sorrir.

    Eu tentei continuar com esse história inimaginável pra mim, que criei na minha mente e que ingenuamente deixei que invadisse meu coração, ao menos pensava que invadiu.Mas simplesmente nasceu e está aqui e não posso continuar com isso e muito menos terminar com.Ambas as opções seriam dolorosas demais, cada uma ao seu prazo.

    Eu só ainda me questiono por quê ainda não consigo perceber o que VOCÊ sente, e não eu.Você parece querer se apaixonar por qualquer um que demonstre afeto ou interesse mas nunca por mim, que fui quem se apaixonou por você.

    E agora fico aqui, lendo romances pois assim alimento o que nasceu aqui, mas as desilusões e a dor são passageiras e ficam presas aos fatos narrados  na minha mente ainda inquieta,  pois a imagem do teu sorriso não me escapa tão  fácil como uma palavra escrita e  se mantém estática como um sussurro que fosse, sincero, doce, te olhando nos olhos.

    Eu ainda sonho com o dia que vou dizer que tenho você, e que você me tem e vamos caminhar de mãos dadas pelo caminho que escolhermos andar.E que mesmo no silêncio nós possamos ouvir um ao outro, e que quando nossos olhares se cruzem eles revelam aquilo que só nós podemos ver um no outro.

    Eu ainda sonho ...

      Data/hora atual: Qua Out 17, 2018 9:07 pm